sexta-feira, 23 de março de 2012

Falta às Reuniões

O Regulamento é bem claro em relação às justificativas de faltas: Em cada semestre poderá o Maçom justificar até cinqüenta por cento de suas faltas, às sessões da Loja, acaso no mesmo dia e horário, estiver:
  • a) Trabalhando.
  • b) Estudando.
  • c) Viajando.
  • d) Doente
  • e) Representando a Potência ou Loja, em outras atividades.
  • f) Visitando outra Loja.

Há, também, os casos imprevisíveis que devem ser devidamente explicados (por escrito), na reunião seguinte à falta.

Porém, o que realmente vemos, é que a maioria das ausências,  é motivada pela falta de comprometimento.

Ela está calcada na preguiça, na falta da palavra empenhada, e até mesmo no egocentrismo.

Acontece que, quando o Irmão faltoso precisa de ajuda, torna-se ele o mais freqüente. Esta situação é muito perigosa para a Loja. Este Irmão é um mau exemplo, e acaba “contaminando” outros.

Observem que é muito comum, após uma grande ausência, ele aparecer na reunião e fazer questão de se manifestar na Palavra a Bem da Ordem (para constar seu nome nos anais da Loja).

Costuma inflamar os demais Irmãos, quanto às posições que a Loja deve tomar; propõe projetos megalomaníacos (mas ele está em atraso com a Tesouraria); especula conteúdos de uma Sindicância (mas não comparece para colaborar na Iniciação).

Como resolver esta situação?  Começa com um levantamento feito pelo Ir\ Chan\, dos IIr\ ausentes. Em uma folha de papel, ele vai marcando os presentes. Durante a sessão ele verifica quais Irmãos estão faltosos a duas reuniões. Com os respectivos telefones, ele encaminha ao Venerável Mestre, a lista, que, na Ordem do Dia, pedirá a dois IIr\ que farão contato com os ausentes, para saber se eles estão precisando de alguma coisa, e procurem saber o motivo da ausência.

Esta medida visa o ideário de Fraternidade, pois pode acontecer que o Ir\ esteja doente, ou passando por uma situação que necessite de apoio. Sem contar também, que quem recebe o telefonema, vai se sentir prestigiado.

Na reunião seguinte (a terceira), não estando presente o Ir\, os que fizeram contato dirão à Assembléia, sobre a receptividade que tiveram, SEM TECER COMENTÁRIOS, pois, às vezes, o assunto é para Câm\ do Mei\. Após três vezes dessa dinâmica, deve o Venerável Mestre, escrever uma carta ao Irmão ausente, solicitando GENTILMENTE, que o mesmo retorne aos trabalhos ou caso não tenha  interesse que peça o seu Q\P\.

Observem que esta tentativa de retorno, durará 2 meses, 8 a 9 reuniões, e no mínimo, 6 telefonemas de diferentes Irmãos. Se não surtir o efeito desejado, o melhor é expedir o Q\P\ Ex-Oficio, cumprindo-se assim, os tramites legais.

Outro Irmão que deve estar atento às ausências, é o Ir\Tesoureiro. O não cumprimento da responsabilidade pecuniária pelos IIr\, pode comprometer a situação da Loja perante a Obediência, e às vezes junto à sociedade.

Se você, meu Irmão, que está lendo este artigo, for um “Irmão faltoso”, lembre-se de seus juramentos. Pense quanto vale sua palavra. Se você está com “problemas”, pense que você possa ter a solução para o problema de outro Irmão que está dentro da Oficina. Lembre-se da CORRENTE do BEM. Se você pensa que já viu tudo, que já deu tudo que tinha pela Maçonaria, ainda lhe falta aprender a lição da HUMILDADE e da colaboração despretensiosa. Se você crê, que na sua Loja tem algum Ir\ que não mereça lá estar, compareça com mais freqüência, assim os mais “jovens,” terão outros exemplos a serem seguidos. 

Com toda certeza, NÃO PRECISAMOS SER NUMEROSOS, PRECISAMOS SER COMPROMETIDOS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Impacto da Maçonaria na vida de um recém iniciado.

Refletindo como fazer um trabalho sobre o efeito da Maçonaria em minha vida após a iniciação, se fez necessário uma análise dos meus dias...