quinta-feira, 8 de março de 2012

Capítulo Rosa Cruz...

...justamente porque os Graus trabalhados são posteriores aos da Loja de Perfeição e, são pré-requisitos para quem quer conhecer os verdadeiros graus filosóficos, tratados no Kadosch.

O primeiro grau do Capítulo é o Cavaleiro do Oriente, da Espada ou da Águia (Grau 15); o segundo é o Príncipe de Jerusalém (Grau 16); o terceiro é o Cavaleiro do Oriente e do Ocidente (Grau 17) e fecha-se este ciclo de estudos com o Grau 18, Cavaleiro Rosa Cruz ou Cavaleiro da Águia e do Pelicano.

Estando como Presidente do Conselho de Cavaleiros Kadosch Jacques DeMolay, natural seria dizer, que a iniciação mais bonita da Maçonaria, pós simbólica, é a do Grau 28 (Cavaleiro do Sol); aí, “puxaria a sardinha para minha brasa”, realmente ela é muito bonita e muito significativa.

Mas sejamos sinceros, quem passou pela iniciação do Grau 18, sabe que é um momento único. Nele aprendemos a compartilhar (friso: COMPARTILHAR, que é diferente de dividir), nele, somos chamados a ensinar, o que nos foi ensinado.

Aprendemos que podemos ser amados, e que devemos amar. Participar desses graus considerados históricos, entronizando-os no coração, é vivenciar a obrigação do exercício da virtude: CARIDADE.

É expandir a fraternidade para os não iniciados, socorrer a todos na medida da nossa condição econômica. Lembrando que ninguém é tão pobre, que não possa levar o conforto de um ombro amigo.

Ser um Cavaleiro Rosa Cruz é trabalhar pela união dos Irmãos (independente de grau); é armar-se de espada para combater a maledicência, a calúnia, a vaidade e a inveja. Uma das mais belas características de “SER” Cavaleiro Rosa Cruz, é ser patriota.

O Capítulo Rosa Cruz, é uma grande família. A ritualística ensina que os Obreiros devam permanecer sempre unidos; quando da passagem de um seu Oficial, para o “Oriente Eterno”, faz-se um respeito muito grande através de sessão fúnebre. E há um detalhe único, referente à Jóia, que aqui não pode ser comentado.

Mas, também devem ser muito unidos na alegria, é comum à todos, celebrarem sua condição de Obreiros Rosa Cruz, através de um ágape anual. De todas as cerimônias ligadas ao Capítulo Rosa Cruz, nenhuma supera a “Cerimônia de Endoenças”, que acontece somente uma vez ao ano, na Quinta-feira Santa. Nesse dia, todos os Cavaleiros Rosa Cruz devem comparecer, e os impossibilitados, unir-se-ão aos demais, em espírito.

Meus IIr.•. o objetivo deste pequeno artigo, é para despertar no Irmão, a vontade de conhecer os graus posteriores ao do Mestre Maçom. Leia os capítulos 3 e 6 do Livro de Esdras; capítulo 5 do Apocalipse e capítulo 14 do Livro de Marcos. Se alguma palavra aquí escrita, ou que você tenha lido nas recomendações do Livro da Lei, lhe tocou, é hora de continuar a escalada, ou mesmo retornar aos trabalhos nos Graus Superiores.

Rogo aos Irmãos, que compreendam não ser só importante ter os 33 graus do REAA, a “vantagem” é conhecer todos eles, mas escolher um, como diretriz para seu método de vida. O Maçom que “É” por inteiro, um Cavaleiro Rosa Cruz, ou Cavaleiro da Águia e do Pelicano, é uma excelente “Pedra Cúbica”.

Uma curiosidade: O Pelicano quando não encontra alimento para levar para sua prole, voa para o ninho, e com o próprio bico dilacera o peito, permitindo que os filhotes encontrem na sua carne, o alimento que os manterá vivos até o próximo nascer do sol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Impacto da Maçonaria na vida de um recém iniciado.

Refletindo como fazer um trabalho sobre o efeito da Maçonaria em minha vida após a iniciação, se fez necessário uma análise dos meus dias...