quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Altos Graus


Como no Brasil mais de 90% das Lojas trabalham no Rito Escocês, trataremos dos Graus posteriores ao Grau de Mestre Maçom desse rito.

A denominação “Graus Superiores” deve ser compreendida no sentido numérico, (Grau 4 posterior ao Grau 3) e não no sentido qualitativo (Grau 7 melhor que o Grau 6), primeiro que isto seria um ato de soberba, nenhum Irmão é melhor/superior que o outro simplesmente por ter sido iniciado ou ter lhe sido comunicado determinado grau.

Também, não podemos generalizar dizendo que os graus posteriores aos da Maçonaria Simbólica são Graus Filosóficos.

Para os que ainda não tiveram a oportunidade de COMPLETAR seus estudos, acreditando na “Plenitude” conquistada no Grau de Mestre Maçom eu sempre faço esta pergunta: -

No mundo profano quando acontece o que aconteceu durante a Sessão de Exaltação, não há todo um desenrolar de ações e reações?

Por que então na Maçonaria a “estória” deve terminar apenas com lamentações? Como este ambiente não é propício para assuntos intra-templos, pretendo apenas gerar inquietudes.

O Grau 4 tem o nome de Mestre Secreto, será porque ele deve ficar em sigilo ou manter sigilo? Grau 5 = Mestre Perfeito, será que alguém é perfeito? Grau 6 = Secretário Intimo, o que você espera de seus amigos mais próximos? Grau 7 = Preboste e Juiz, você sabe o que é um Preboste? Grau 8 = Intendente dos Edifícios, qual edifício pretendemos construir? Agora uma seqüência numérica muito interessante e que só fazendo os graus para compreender: Grau 9 = Cavaleiro Eleito dos IX. Grau 10 = Cavaleiros Eleitos dos XV e Grau 11 = Cavaleiros Eleitos dos XII. Grau 12 = Grão Mestre Arquiteto, as instruções desse grau são imprescindíveis para nossa atuação como MM. Grau 13 = Cavaleiro de Real Arco procurem uma imagem de um arco de pedras e imaginem quantas dificuldades haviam para equilibrar as pedras, mas os que o construíram foram perseverantes. Grau 14 = Perfeito e Sublime Maçom é o último grau ministrado em uma Loja de Perfeição ou de Aperfeiçoamento, me parece o termo mais adequado. Os quatro graus seguintes são ministrados em um Capítulo Rosa Cruz e são de uma beleza ímpar: Grau 15 = Cavaleiro do Oriente ou da Espada. Grau 16 = Príncipe de Jerusalém. Grau 17 = Cavaleiro do Oriente e do Ocidente. Fechando este ciclo temos uma das mais singulares sessões de todo o Rito Escocês, Grau 18 = Cavaleiro Rosa Cruz. Do Grau 19 = Grande Pontífice ao Grau 30 = Cavaleiro Kadosch é que realmente estão os Graus Filosóficos do Rito Escocês, completando a relação temos: Grau 20 = Soberano Príncipe Ad Vitam. Grau 21 = Cavaleiro Noaquita. Grau 22 = Cavaleiro do Real Machado (este grau dá um trabalho...). Grau 23 = Chefe do Tabernáculo. Grau 24 = Príncipe do Tabernáculo (observem que há o Chefe e o Príncipe do Tabernáculo). Grau 25 = Cavaleiro da Serpente de Bronze (sabiam que há uma passagem no L\L\ sobre isso?). Grau 26 = Príncipe da Mercê. Grau 27 = Comendador do Templo. Grau 28 = Cavaleiro do Sol (grau extremamente espiritualizado). Grau 29 = Grande Cavaleiro Escocês de Santo André. Um bom exercício é procurar o significado das palavras sublinhadas! Os três últimos graus são: Grau 31 = Grande Inspetor Inquisidor Comendador. Grau 32 = Sublime Príncipe do Real Segredo e Grau 33 = Grande Inspetor Geral. Há um dado interessante, no inicio nossos Irmãos trabalhavam somente em dois graus (Aprendiz e Companheiro), aproximadamente em 1742 foi que a Maçonaria da França (terra natal do REAA) adotou o Grau de Mestre. Por motivos positivos e às vezes não, foram surgindo os “Altos Graus”. 

No ano de 1801 em Charleston (USA) foi criado o Tribunal Supremo do Rito Escocês Antigo e Aceito (Supremo Conselho), que focaria seus trabalhos do Grau 4 até o Grau 33, deixando para as Grandes Lojas e Grandes Orientes a responsabilidade sobre os Graus Simbólicos. Vinculado a este Supremo Conselho, em 12 de março de 1829 foi criado no Brasil o Supremo Conselho do Grau 33 do R\E\A\A\ da Maçonaria para a República Federativa do Brasil, cuja sede os Irmãos poderão conhecer visitando o site: http://www.sc33.org.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Impacto da Maçonaria na vida de um recém iniciado.

Refletindo como fazer um trabalho sobre o efeito da Maçonaria em minha vida após a iniciação, se fez necessário uma análise dos meus dias...